O Negócio é o seguinte…

Desde fevereiro estou fazendo parte da 1ª turma do curso de Certificação Internacional em Negócios Sociais do Instituto Yunus no Rio de Janeiro, em parceria com a ESPM. Um de nossos “deveres de casa” foi escrever uma resenha sobre o relatório desenvolvido pelo Boston Consulting Group em conjunto com o Professor Yunus, intitulado “The Power of Social Business”, que apresenta os principais aprendizados e boas práticas de vários negócios sociais vinculados à fundação Grameen – Fundação capitaneada pelo próprio Prof. Yunus, que teve início com o projeto do Grameen Bank, aquele que deu ao Prof. Yunus o Prêmio Nobel da paz.

Optei por fazer uma resenha aberta e opinativa, por acreditar que conhecimento compartilhado e desconstruído gera mais conhecimento adquirido e fortalece o Capital Social.

Aguardo desconstruções. ;)

Introdução Provocativa

Ao observarmos o cenário socioeconômico atual me parece claro constatar que John Nash – aquele mesmo do filme Uma Mente Brilhante – tinha razão ao dizer que Adam Smith estava equivocado ao pregar que “a livre concorrência garantiria a eficiência e o crescimento do mercado.” Read more

Mais um dia…

Ele ouve o despertador tocando…
A vontade é de jogá-lo na parede.
Desliga o despertador no seu iPhone.
“Pra que levantar? Que sentido tem mais este dia?”
Dá aquela conferida nas redes sociais.
“O que aconteceu com o mundo enquanto eu dormia? Será que rolou algum Match?”
Olha pela janela e mais um dia cinza nasce lá fora.
Observa a vizinha gostosa andando de calcinha e sutiã pela casa.
“Ainda esbarro com ela na padaria da esquina”
Levanta, joga água na cara e se prepara pra sua rotina matinal:
Escovar os dentes,
Ligar a cafeteira,
Colocar ração pro gato,
Tomar o remédio contra hipertensão,
“Porra, seu merda, não foi correr de novo” Aquele lapso de culpa por não estar enquadrado aos padrões pré-estabelecidos pela sociedade.
“Ah, foda-se, compenso na lábia. Com meu repertório. Com a garrafa de vodka na mesa do bar”
Abre a porta, pega o jornal, da de cara com a vizinha coroa que reclamou na noite anterior por causa da música alta.
“Bom dia” Com aquele riso irônico de canto de boca, sem se tocar que está só de cueca.
Coloca o café na xícara do Bob Esponja e vai folhear o jornal.
Só uma leitura diagonal nas principais manchetes. Afinal, não dá tempo de ler o jornal inteiro.
“PQP, só tem notícia merda. Nada que presta. Por que os jornais não dão destaque para os nascimentos, os gols da pelada na rua, quem ganhou a corrida de carrinho de rolemã nas ladeiras de Santa Tereza, ou quem gritou primeiro ‘Marraio, feridô, sou Rei!’ no jogo de bulica no Catumbi?” Então se lembra que isso não vende jornal. Não dá mídia.
Se toca que está atrasado e que precisa se arrumar pra ir pro trabalho.
Aquela ducha gelada pra acordar.
A torrada já quase preta que pula da torradeira…
Calça sarja, camisa social azul clarinho, aquele tênis da Osklen que ele acredita que só ele tem, crachá no pescoço e segue rumo ao metrô.
“Como essa porra tá cheia. Hmmm, mas aquela gatinha ali nunca tinha visto”
Desce na Carioca.
Fila no elevador pra subir pra firma. Menos 15 minutos de vida.
Entra no escritório e ouve “Bom dia Fulano de Tal”
“Bom dia por que?”
Liga o seu PC.
Carrega o Outlook e começa a jornada de mais um dia.
Só mais um dia…

A mesa ao lado

Nunca entendi o porque essa gente grande inventou a tal “mesa das crianças” nos eventos familiares.

Vamos colocar as crianças numa mesa, onde elas possam comer comida de criança e interagir com os de sua idade. Além disso, pra elas não escutarem as besteiras e palavrões que os ~adultos~ falarão na mesa principal de gente grande

Vocês já pensaram no quanto poderia ser divertido colocar a molecada junto com os coroas e poder aprender com a inocência deles? Read more

O fim da Utopia!

De repente, o universo conspira e o que parecia utopia começa a se desenhar como algo palpável.

Há alguns anos, enquanto jovem empreendedor, durante aquelas dinâmicas de perfil empreendedor, quando me perguntavam “O que você vai fazer amanhã?” a resposta estava na ponta da língua:

“Eu quero dominar o mundo!!”. Numa vibe meio Cérebro (aquele, brother do Pink)

Tolinho!

Depois de porradas da vida e de entender que comunicação NÃO é vender produtos e/ou serviços, mas SIM, uma ferramenta de transformação social, a resposta mudou drasticamente.

Hoje, quando me fazem o mesmo questionamento, a resposta saiu da ponta da língua para o fundo do coração: Read more

EU SOU MULHER!

Mulheres. Ahhhhh as mulheres!

Lindas, belas, admiráveis, cheias de idiossincrasias e verdades.

Como diria Martinho, “Mulheres cabeça, desequilibradas. Mulheres confusas, de guerra e de paz.”.

Ahhhhhh as mulheres…

que não são mais ou menos mulheres porque queimaram sutiãs em praça pública;

ou porque se tornaram presidentAs;

ou porque foram para o espaço;

ou porque surfam ondas gigantes;

ou porque depois de tropeçarem no vestido mandam o dedo pras camêras;

ou porque também curtem andar de skate;

ou porque protagonizaram recentemente o main event da principal liga de MMA do mundo;

ou por qualquer outro destes acontecimentos que exaltam o quanto elas “chegaram lá”. Serio, mesmo? Ah vá! Read more

Lado a Lado não seria melhor do que escolher um Lado?

Tenho visto um pessoal (inclusive profissionais de comunicação) compartilhando esse vídeo – com fotografia, texto e trilha sonora lindos – e fiquei preocupado com as possíveis reações que podem ser internalizadas a partir das “regras” jogadas alí. Como o próprio autor recomenda, gostaria de propor algumas reflexões sobre o seu tema central – ON ou OFF.
Sem cagação de regra, só algumas provocações para iniciarmos um diálogo – saudável – entre PESSOAS (e não entre meios). ;-)
Vamos começar assistindo o vídeo:

Agora, vamos as reflexões: Read more

That’s what i’m talking about!

(imagem original aqui)

A Interbrand publicou hoje o BEST GLOBAL BRANDS 2012 e nenhuma surpresa nas primeiras colocadas. Coca-Cola, Apple (que cresceu 129%), IBM e Google são as top 4.

Vale ressaltar que as marcas que estão entre as primeiras do ranking se destacam por oferecerem experiências memoráveis em todas as oportunidades de relacionamento com as pessoas. (obs: propositadamente substituindo “pontos de contato” por “oportunidades de relacionamento” e “consumidores” por “pessoas ;-) ). E, mais do que isso, são marcas que transformaram o mundo em que vivemos e e a relação humana como a conhecemos.

Achei duca o texto do relatório e a forma como eles apresentam o racional do porque as marcas tops estão onde estão, como a cultura digital colaborou para isso, a força das Olimpíadas para as marcas e a comunicação e muito mais…

Segue uma parte do texto introdutório, que mostra um pouco do que eu to falando: Read more

Chega de #mimimi

Tudo depende da vista de um ponto. TUDO!

Vídeo genial.

Marketing da alegria. Eu acredito!

Quer ganhar a atenção e o engajamento das pessoas (e lucrar mais com isso)?
Ofereça FELICIDADE e AMOR.
Verá o quão recompensador é – em todos os sentidos. Read more

Experiências positivas se transformam em histórias positivas

#FICADICA